quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

O óculos de João Calvino! Por Josemar Bessa

Discernimento bíblico é uma das maiores necessidades de nossos dias, mas de muitas maneiras a Bíblia e negligenciada. Esperamos respostas místicas para nossos problemas específicos, ou simplesmente desejamos ter alguém que nos diga o que fazer nas situações específicas... mas nosso próprio crescimento no conhecimento da Palavra nunca chega ao ponto de podermos aplicá-la aos vários problemas da vida.


Quando vamos a Bíblia, muitas vezes esperamos achar o verso que fale especificamente sobre o problema enfrentado, de forma que não precisemos de nenhum discernimento na sua aplicação, vendo a Bíblia apenas como um livro de consultas... problema tal, verso tal...

A Bíblia não nos dá orientações específicas ou detalhadas sobre todos os dilemas da vida, sobre cada dilema moral, espiritual... E isso não acontece por ela não ser perfeita e abranger toda a vida. Se ela fosse um livro com orientações específicas sobre cada problema e dilema que já surgiu ou que surgirá no curso da história, jamais poderia estar contida em um único livro que podemos ter, carregar conosco e estudar... teria que ser uma biblioteca de enormes volumes que jamais poderíamos ler em toda a nossa vida. É por isso que sabiamente a Palavra de Deus nos dá princípios e diretrizes gerais para nós aplicarmos às nossas situações específicas e únicas em todas as eras e gerações.

 A Confissão de fé de Westminter resume o perfeito ensinamento bíblico de maneira muito clara – “Todo o conselho de Deus concernente a todas as coisas necessárias para a sua própria glória, a salvação do homem, fé e vida, ou é expressamente declarado na Escritura, ou por boa e necessária consequência, pode ser deduzida a partir da Escritura”.

O que claramente está expresso nestas palavras? O que significa ser o verdadeiro conhecimento bíblico? – Significa que, enquanto nós não podemos encontrar um versículo específico sobre o nosso problema ou necessidade específica ( muitas vezes encontramos ), vamos sempre encontrar um princípio ou clara diretriz, que podemos aplicar à nossa situação. 

Aqui entra o grande problema de muitos, pois o pensamento rigoroso e oração são necessários. Por isso tem sido mais fácil escorregar para o misticismo, ou simplesmente tentar achar alguém que aplique todo o tempo a verdade aos nossos problemas específicos... um consultor bíblico. Pensamento rigoroso, estudo e oração... quantos estão comprometidos assim com a Palavra? É mais fácil esperar ouvir uma voz, uma visão... ou se já escapamos disso ( graças a Deus ) – simplesmente acharmos alguém para todo o tempo aplicar a Palavra a nossos problemas específicos... Por que isso é assim? Não queremos exercer o pensamento rigoroso, estudo e oração. Devemos ler as Escrituras com oração, buscar os princípios relevantes e claros, e por “consequência boa e necessária” – Como bem disse a Confissão de Fé de Westminster, - não por saltos irracionais, não por violentar o texto bíblico, saltos ilógicos... mas por “consequência boa e necessária”, aplicá-los a nossa situação específica.

Muitos, além de não fazerem isso, quando procuram aconselhamento, já tomaram uma decisão, e irão naquela direção independentemente do que ouvirem... ou irão buscar “conselheiros” até encontrar aquele que diga o que ela quer ouvir.

Por exemplo – “Com quem devo casar?” – A Bíblia não diz. Você deseja saltos místicos irracionais, ouvir revelações, ou ouvir vários conselheiros até que você ouça o que quer... Mas a Bíblia não tem uma resposta específica para isso. Ela dá princípios gerais claros de como um cristão deve agir. O casamento de ser “somente no Senhor” – A Paciência terá que ser exercida todo o tempo. Seu cônjuge deve estar disposto a aceitar os papéis e responsabilidades que a Escritura delineia para um marido ou esposa... É isso, por “consequência boa e necessária”, pelo raciocínio lógico e rigoroso sobre todo o ensino bíblico a respeito disso e pela oração... com todos estes princípios, você tem ou pode encontrar a resposta que está procurando. Isto é verdade para todas as outras coisas onde o ensino direto e específico não é dado. Decidimos essas questões usando o senso comum santificado, sempre e tão somente agindo de acordo com as regras e princípios gerais da palavra.

No que diz respeito a salvação, tudo é expressamente declarado na Escritura. Em relação a santificação, tudo é expressamente declarado ou pode ser deduzido a partir das Escrituras. Quanto ao conhecimento neste mundo, deve ser verificado pela Escritura.

A suficiência bíblica não diz para nós que devemos desprezar toda fonte de conhecimento não-biblico – privando-nos das riquezas que a Providência de Deus concede ao saber humano, mas sim que tudo deve estar sob o escrutínio severo da Verdade de Deus – Sua Palavra. Ou seja, para vivermos uma vida de obediência precisamos totalmente da Palavra, mas precisamos de aprender outras coisas também... 

Por exemplo, para sermos obedientes a Deus no cuidado de nosso planeta, da natureza... precisamos saber o que a ciência tem descoberto sobre a ecologia, preservação... Para sermos obedientes ao pagar nosso imposto de renda, teremos que conhecer o manual de preenchimento deste. Para sermos obedientes a Deus na vida econômica, precisamos observar o mundo dos negócios, conhecer as leis da economia... Para sermos obedientes na prática de um esporte, agirmos corretamente e honestamente, precisamos conhecer as regras daquele esporte. Para sermos obedientes a Deus no trânsito, precisamos conhecer as leis de trânsito de nosso país. Para aplicarmos toda a verdade sobre a obediência no casamento, será necessário conhecer o temperamento de nosso cônjuge... Ou seja, a Bíblia não nos diz tudo o que precisamos saber para o viver obediente, para sermos homens e mulheres que em tudo honram e glorificam a Deus... Ela regula tudo, e todo outro conhecimento terá que ser submetido a Ela, mas outros saberes serão necessários.

O Sola Scriptura nos diz que não precisamos – e não temos – mais nenhuma revelação especial. Nós temos toda palavra infalível e inspirada. Na Bíblia, Deus nos deu e temos um padrão perfeito para julgar todas as coisas, todos os outros conhecimentos...TUDO está sob o julgamento da Bíblia.

João Calvino usa a ilustração dos óculos para explicar este princípio nas Institutas. Ele disse que a Bíblia não é apenas o que lemos, mas o que lemos com a Bíblia. Ou seja, usamos suas páginas como um óculos para ver e ler o mundo. E Deus tem distribuído conhecimento por todo ele, mas todo ele deve ser visto com este óculos. A mente humana ainda que, caída e pervertida da glória original que foi criada,  é  ainda adornada com presentes admiráveis do seu Criador. Devemos julgar biblicamente o que é bom ou não que flui da mente humana segundo a Palavra, e só então descartamos tudo que é expressão do erro. Calvino então diz que devemos ter cuidado para não rejeitar ou condenar a verdade onde quer que ela apareça.

Calvino diz que se considerarmos o Espírito de Deus como o único fundamento da verdade, devemos nem rejeitar a própria verdade, nem desprezá-la onde quer que ela se manifeste, a não ser que desejemos desonrar o Espírito de Deus. Vamos dizer que os filósofos eram cegos em toda sua observação e descrição artística da natureza? . . . Não, não podemos ler os escritos dos antigos sobre esses assuntos sem grande admiração. Mas se o Senhor quis que fôssemos ajudados em física, dialética, matemática e outras disciplinas, como por obra e ministério dos ímpios, vamos usar essa assistência. Pois se negligenciarmos o dom de Deus oferecido livremente nestas artes, devemos sofrer uma punição justa por nossa preguiça.

Como dissemos, no que diz respeito a salvação, tudo é expressamente declarado na Escritura. Em relação a santificação, tudo é expressamente declarado ou pode ser deduzido a partir das Escrituras. Quanto ao conhecimento neste mundo, deve ser verificado pela Escritura, ou lido através das lentes das Escrituras. É nesses sentidos que temos “...tudo o que pertence à vida e à piedade” - 2 Pedro 1:3

Por exemplo, a Bíblia não nos diz tudo o que precisamos saber sobre a alimentação. Assim, podemos aprender com nutricionistas sobre como comer de maneira a melhorar o nosso estado físico, mental... Mas nós lemos este conhecimento através da lente da Bíblia. A Bíblia é suficiente para nos impedir de cair em erro quando lemos neste mundo.


A Bíblia é como um mapa. Ela nos diz de onde viemos, nos diz onde estamos e para onde devemos ir. Ela nos dá todos os marcadores, todos os sinais essenciais que nos levam até o propósito final. Mas há detalhes ao longo do caminho, que podemos – e se somos filhos de Deus faremos necessariamente– ler através das lentes da Escritura – usando para nosso benefício ao longo da jornada, sem que saiamos em nenhum momento do caminho bíblico, do caminho na direção do alvo da soberana vocação. Você terá que pensar. Exercer o pensamento rigoroso, estudo e oração. Ler as Escrituras com oração, buscar os princípios relevantes e claros, e por “consequência boa e necessária” – Como bem disse a Confissão de Fé de Westminster, - não por saltos irracionais, não por violentar o texto bíblico, saltos ilógicos... mas por “consequência boa e necessária”, aplicá-los a cada situação específica da vida.




_________________________________________
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...