segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Direto do Púlpito: Jesus, o Servo! Por Flávio Oliveira



“Eis o meu Servo a quem sustenho, o meu eleito, em quem tenho toda a alegria. Tenho nele o meu Espírito e ele fará justiça às nações!
Não usará de gritos, nem clamará ou levantará a voz pelas ruas.
Não quebrará o caniço rachado e não apagará o pavio que esfumaça. Em verdade e fidelidade implementará a justiça.
Não se quebrará diante da fraqueza, nem se deixará abater, até que estabeleça a justiça na terra. Em sua lei até as mais longínquas e diminutas ilhas depositarão sua esperança!” Isaías 42:1-4

Em Isaías, nós conseguimos ver a revelação de Cristo, não como um rei que viria de maneira poderosa, mas sim apresentado como servo, como alguém que é sustentado por Deus, renunciando de si mesmo para o progresso do Reino.
Como filho adotou a forma de servo,  o que o torna extremamente admirável e glorioso. Vemos o Filho sendo eleito pelo Pai para proclamar a Sua obra. Ele é a luz para todos aqueles que creem. Chamado, eleito, escolhido por Deus. Único capaz de cumprir a obra de redenção do homem. Escolhido para uma obra que nenhum homem ou até mesmo anjo era capaz, somente o Filho de Deus. O Servo sustentado pelo Pai, que o apoiava e o fortalecia, alguém em que se encontrava a alegria do Pai, uma demonstração de satisfação particular com o seu filho.

Em Mateus 3:17 ( Em seguida, uma voz dos céus disse: “Este é meu Filho amado, em quem muito me agrado) ”vemos que a alegria de Deus se encontrava no Filho, e somente por Ele, podemos encontrar o Pai. Por causa do Filho, o pai tem prazer em nós e recebemos os traços da natureza de Cristo. 

O Espírito do Senhor estava sobre ele.
"Eis que o Espírito do Senhor o Soberano, está sobre mim, porque o SENHOR me ungiu para anunciar a Boa Nova aos pobres. Enviou-me para cuidar dos que estão com o coração quebrantado, proclamar liberdade aos cativos e libertação do mundo das trevas aos prisioneiros da escuridão" (Isaías 61:1)

O Espírito do Senhor repousou sobre ELE.
Para estabelecer o Reino do Céus, proclamar as boas novas, revelar o que esta em segredo com os judeus para todos os gentios. Proclamar Liberdade ao cativo, ser a luz para uma sociedade que se encontrava em trevas.

Como mediador ele foi ungido com óleo de alegria, Poder e Glória.
“Amas o direito e odeias a iniquidade; por esse motivo, Deus, o teu Deus, te escolheu e ungiu com óleo de alegria, como a nenhum dos teus companheiros”. (Hebreus 1:9)

V.2 - Não usará de gritos, nem clamará ou levantará a voz pelas ruas.
A Palavra de Deus diz que Cristo não se exaltaria, que sua voz seria e é ouvida de forma mansa e suave no interior do homem. Ele não usaria dos seus milagres para se promover, não desejava ser seguido por isto, e sim pela mensagem que ele carregava como Salvador. (embora seus milagres demonstrassem que verdadeiramente era filho de Deus). Demonstraria e realizaria sua obra sem alardes, não tocaria trombeta diante de si, promovendo-se. Embora Ele tivesse todo o poder necessário, Ele não iria se proteger de forma milagrosa dos seus perseguidores e daqueles que vieram a matá-lo posteriormente, pois Cristo veio como servo. Não usaria de armas carnais, nem de aparência de Rei, não teria uma aparência exterior. Suportaria pacientemente aqueles que se opunham a ele, retirando-se para outros lugares e continuando a fazer a obra do Pai. Ato de humildade, humilhação e autonegação.

"Ele cresceu diante dele como um broto tenro e como uma raiz saída de uma terra árida e estéril. Ele não aparentava qualquer formosura ou majestade que pudesse atrair os seres humanos, nada havia em seu aspecto físico pelo que pudéssemos ser cativados. Pelo contrário, foi desprezado e rejeitado pelos homens, viveu como homem de dores, experienciou todo o sofrimento. Caminhou como alguém de quem os seus semelhantes escondem o rosto, foi menosprezado, e nós não demos à sua pessoa importância alguma". (Isaías 53:2-3)

Ele poderia ter se manifestado como o Rei de Israel ou ter vindo de outra forma, com um cargo de poder. Sendo filho de Deus vindo como servo, Ele suportou pacientemente todos seus oponentes, mesmo durante Sua morte.

V. 3 - Não quebrará o caniço rachado e não apagará o pavio que esfumaça. Em verdade e fidelidade implementará a justiça.

Nossa sociedade está como nos dia de Jesus, possui muita hipocrisia, pecado desenfreado, uma sociedade sem moralidade, com costumes religiosos (Farisaísmo).

Uma sociedade como muitas igrejas que não pregam contra o pecado e arrependimento, e muitas pessoas estão morrendo espiritualmente.

Fica claro que Cristo seria paciente, que daria oportunidades de arrependimentos, assim como faz hoje aqui, Ele é amoroso, e que não quebraria a cana quebrada com o seu poder e também não apagaria o pavio. Muitas pessoas na igreja hoje que estão apagando, são como pavios esfumaçando. Deus pode acender esta chama novamente. É evidente que Jesus perdoa todos àqueles que vierem até ele arrependido, pois sua obra é implementar a justiça. (Evangelho). No entanto uma vez que você rejeita o evangelho de Deus em sua vida, você está assumindo risco de ouvir: " nunca vos conheci." Há reconciliação com Cristo para sua alma,você ainda pode se render na presença de Cristo, e ao evangelho.

V.4- "Não se quebrará diante da fraqueza, nem se deixará abater, até que estabeleça a justiça na terra. Em sua lei até as mais longínquas e diminutas ilhas depositarão sua esperança!”

JESUS não se quebraria diante da tamanha obra e suas dificuldades, mas iria cumprir a grande obra de redenção do homem com Deus por intermédio do seu sacrifício.

"Pelo contrário, foi desprezado e rejeitado pelos homens, viveu como homem de dores, experimentou todo o sofrimento. Caminhou como alguém de quem os seus semelhantes escondem o rosto, foi menosprezado, e nós não demos à sua pessoa importância alguma.
E, no entanto, suas dores eram as nossas próprias enfermidades que ele carregava em seu ser. Sobre seu corpo levou todas as nossas doenças; contudo nós o julgamos culpado e castigado por Deus. Pela mão de Deus ferido e torturado.
Mas, de fato, ele foi transpassado por causa das nossas próprias culpas e transgressões, foi esmagado por conta das nossas iniquidades; o castigo que nos propiciou a paz caiu todo sobre ele, e mediante suas feridas fomos curados.
Em verdade todos nós, tal como ovelhas perdidas, andamos errantes; cada ser humano tomou o seu próprio caminho; e Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de todos nós.
Ele foi maltratado, humilhado, torturado; contudo, não abriu a sua boca; agiu como um cordeiro levado ao matadouro; como uma ovelha que permanece muda na presença dos seus tosquiadores ele não expressou nenhuma palavra.
Por intermédio de julgamento tirano ele foi preso. E quem pode falar dos seus descendentes? Pois ele foi ceifado da terra dos viventes; por causa dos erros do meu povo ele foi golpeado.


Deram-lhe uma sepultura com os ímpios, e ficou com o rico na sua morte, embora jamais tivesse cometido injustiça, nem houvesse qualquer engano ou inverdade em sua boca.

Contudo, foi do propósito do Senhor, torturá-lo e fazê-lo passar por toda dor. E, embora o SENHOR o tenha feito como oferta pelo pecado da humanidade, ele verá a sua posteridade, prolongará os seus dias para sempre, e a vontade do Senhor prosperará em suas mãos." (Isaías 53:3-10).

Ele consumaria na cruz a sua obra, e cumpriria as profecias referentes a ele. Evidenciaria a verdade do Evangelho na sua morte e ressurreição, e que o véu seria rasgado e não só os judeus conheceriam, mas também os gentios.
Estabeleceu um povo seu, uma igreja para si mesmo entre os homens pelo poder do seu Evangelho.

"Logo depois do sofrimento ele contemplará o resultado da sua obra, o empenho de sua alma, e ficará satisfeito; mediante a sua sabedoria, o meu Servo, o Justo, justificará a muitos e tomará sobre si mesmo as más obras dos seres humanos.
Por este motivo Eu lhe darei uma porção generosa entre os grandes, e ele dividirá os despojos entre as multidões, porquanto ele derramou a sua própria vida até a morte, e foi contado entre os criminosos. Portanto, ele levou sobre si o pecado de muitos e pelos transgressores intercedeu."   (Isaías 53:11-12)

A justiça de Cristo cobre nossas fraquezas e nossas limitações. Por que não se entregar à Deus? Jesus nos dá a oportunidade todos os dias de arrependimento.

Em Mateus 12:15-21 vemos cumprimento da palavra de Isaías. Podemos ver o amor de Cristo sendo proclamado à todas as pessoas. E a única coisa que devemos fazer é acreditar e permitir que Deus nos transforme, pois a nossa vida precisa condizer com aquilo que nós acreditamos.

Abra o seu coração e receba o evangelho... Abandone à velha prática e adore Deus em verdade, então você sairá das trevas e começará uma nova vida tendo Jesus como sua LUZ!!!


Solus Christus!
Flávio Franco de Oliveira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...