sexta-feira, 11 de abril de 2014

Milhares de fiéis formam escudo humano para impedir demolição de igreja na China





Para evitar a demolição de uma igreja recém-inaugurada, milhares de cristãos formaram um escudo humano em torno do templo na província de Zhejiang, na China. As autoridades do país haviam ameaçado demolir a igreja por considerarem a construção muito grande.
Localizado na cidade de Wenzhou, o templo da Igreja Cristã Sanjiang custou mais de US$ 4,8 milhões e levou seis anos para ficar pronto.  A cidade é considerada uma das que mais concentram cristãos no país. De acordo com Charisma News, milhares de fiéis se reuniram em frente à igreja na última sexta-feira, 04 de abril, para evitar que as equipes de demolição tivessem acesso ao templo. No grupo haviam idosos e deficientes, que passaram a noite em frente ao templo.
Whenzhou (vermelho)
 Provincia de Zhejiang (amarelo)
“Eu dormi aqui ontem à noite e eu vou fazer o mesmo outra vez esta noite. Nós colocamos dois bancos juntos, então foi tudo bem. Sentimo-nos em paz e sem medo quando estamos com o nosso Deus”, afirmou Ele Hongying, um senhor de 81 anos, membro da igreja.
A partir daí, centenas de policiais com tratores cercaram a igreja na quinta-feira à noite, 03 de abril. Alguns fiéis, no entanto, já estavam no local. O impasse na Igreja supostamente começou depois que um dos secretários do Partido Comunista visitou a área e insistiu que a igreja era muito grande.
 "Quando o secretário do Partido Xia Baolong visitou as áreas locais, ele achou a cruz no topo da igreja muito visível. Assim, ele ordenou que fosse demolida. Em seguida, os funcionários do condado de Yongjia exigiram que fosse derrubada a cruz e o topo superior da igreja", disse Zheng Leguo, um jovem líder da Igreja ao ChinaAid.
Muitos dos cristãos que formaram o escudo humano expressaram sua determinação de permanecer na igreja até a saída das autoridades.  “Eu segurei suas mãos e disse: ‘Camaradas, não derrubem a nossa cruz. Posso dar-lhe a minha cabeça em vez disso”, afirmou Yang Zhumei, 74 anos, uma das fiéis no local. “Mesmo que eles tomam minha cabeça, eu ainda posso encontrar a felicidade com Deus”, acrescentou a idosa.
A Igreja Cristã Sanjiang faz parte do Movimento Patriótico das Três Autonomias (MPTA), uma organização cristã protestante da China que é reconhecida pelo governo. De acordo com analistas políticos locais, a ordem de demolição da igreja é “altamente incomum”, justamente pelo fato de a denominação não ser considerada irregular.
Em novembro de 2013, quase duas dezenas membros de igrejas pertencentes ao MPTA, incluindo um pastor, foram presos na província de Henan, em uma repressão contra o ativismo comunitário da denominação local. Os cristãos que frequentam reuniões domésticas e formam a chamada “igreja ilegal” na China são aproximadamente 80 milhões, e estão sujeitos a perseguição religiosa.
“Apelamos às autoridades na província de Zhejiang de rescindir imediatamente as suas ordens para a demolição de Igreja Cristã Sanjiang. Esta igreja foi legalmente construída e tem todo o direito de existir em uma nação que afirma fortemente, pelo menos em parte da comunidade internacional, a respeitar a liberdade religiosa de seus cidadãos”, declarou Ryan Morgan, gerente regional na Ásia da International Christian Concern (ICC), entidade que atua na proteção aos cristãos. 
Igreja Cristã Sanjiang
Cidade de Wenzhou - China
Fonte: Gospel+, ICC e Charisma News 

Saiba mais sobre a China:

A Igreja chinesa e a perseguição hoje



A China vem caindo drasticamente de posição na Classificação de Países por Perseguição  da Portas Abertas nos últimos anos e muita gente se pergunta por que isso tem acontecido. Ronald Boyd-MacMillan (diretor de comunicação da Portas Abertas Internacional) aponta algumas razões para isso.
1. Crescimento e abertura econômica do país
2. Urbanização e êxodo rural, resultantes desse crescimento econômico
3. Materialismo e secularismo
Esses três itens estão interligados, pois crescimento econômico gera êxodo rural - pessoas indo do campo para as cidades em busca de emprego e melhores condições de vida, que gera materialismo (apego aos bens materiais) e secularismo (distanciamento dos valores religiosos tradicionais).
Tudo isso tem gerado uma maior liberdade à Igreja chinesa, mas, por outro lado, muitos cristãos têm-se esquecido do sentido real do evangelho e de toda a severa perseguição que a Igreja enfrentou e, até certa medida, ainda enfrenta. Tanto é que a Portas Abertas Internacional está mudando sua estratégia de atuação na China, que antes era de distribuição de Bíblias, para treinamento de discipulado dos cristãos.
Segundo observadores da Igreja chinesa, outro fator muito importante para a China ter caído tantas posições na Classificação nos últimos anos é que a liberdade e a perseguição severa dos cristãos depende muito de quem está no poder. Como se fosse um pêndulo, ora comunistas conservadores puxam o pêndulo de um lado, pressionando a igreja, ora direitistas puxam do outro, dando um pouco mais de liberdade a ela.

Em 2014, a China se manteve na 37ª posição da lista

Fonte: Portas Abertas

Conclusão:
A igreja brasileira tem muito a aprender com a igreja perseguida, em termos de unidade, defesa da fé e amor sacrificial. Que o Espírito Santo nos guie a toda verdade!


Giuliana Troilo de Oliveira.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...